Singapura parece uma locação fictícia de algum filme de fantasia. É a “Cidade no Jardim”, cheia de atrações e contrastes onde o futuro já chegou.

Mal chegamos no aeroporto e já tínhamos a sensação de que estávamos entrando em outra dimensão. Changi é considerado o melhor aeroporto do mundo, com lojas, jardins, borboletário, cadeiras para massagem e divãs para descanso, piscina, parquinho para as crianças, tablets e computadores disponíveis como cortesia para proporcionar o melhor conforto dos passageiros durante a espera.

Jardim no Aeroporto Changi

E, pasmem, para os passageiros em trânsito com pelo menos 5 horas de conexão na cidade, a Singapore Airlines, a Secretaria de Turismo de Singapura e o Aeroporto Changi, oferecem um city tour gratuito pelos principais pontos turísticos da cidade, para você querer voltar, bastando apresentar o passaporte e o cartão de embarque. E você voltará! Ou resolverá ficar por lá mesmo! Esse é um dos exemplos de hospitalidade que experimentamos em Singapura.

Dia 1
Sri Veeramakaliamman Temple

Começamos nossa visita em Singapura no templo hindu, Sri Veeramakaliamman, dedicado à deusa do poder, Kali, consorte de Shiva. A torre decorada da construção, a gopuram, chamou bastante nossa atenção. Ficamos bastante tempo osbservando as figuras que a compõe. Veja o snap-vídeo que fizemos no interior do Sri Veeramakaliamman Temple.

Gopuram, a torre do Sri Veeramakaliamman Temple
House of Tan Teng Niah

É uma das poucas vilas chinesas remanescentes, de 1900. É uma linda construção bastante colorida que se destaca entre as muitas lojas ao redor. Infelizmente, por ser propriedade particular não está aberta a visitação mas ver de perto vale muito a pena.

House of Tan Teng Niah
Mesquita Abdul Gafoor

A mesquita, localizada na Little India, chama bastante atenção pela sua arquitetura riquíssima e amarelo intenso. É toda decorada com os símbolos da lua crescente e da estrela em seus vários minaretes. A entrada principal é decorada por um relógio de sol que é único no mundo islâmico. O interior também é simples, mas vale uma visita. Lembre-se apenas das regras de vestimenta, nada de shortes e regatas.

Mesquita Abdul Gafoor
Sultan Mosque

A Sultan Mosque, ou mesquita do Sultão, é o ponto central do Arab Quarter, o bairro árabe. A cúpula dourada pode ser vista de todo o bairro. Quando passamos por ela não estava aberta. Mesmo assim, valeu muito a pena apreciar de perto. Veja o snap-vídeo que fizemos da Sultan Mosque.

Sultan Mosque
The Helix Bridge

A Helix Bridge é uma ponte curvada que é exclusiva para pedestres e liga o complexo do Marina Bay Sands até a parte da Marina Bay próxima da roda gigante, a Singapore Flyer. A ponte recebe esse nome em razão da dupla hélice que representam os espirais de aço que a dão forma, inspirados na estrutura do DNA. Tem inclusive as letras A, G, C e T marcadas no chão representando as cadeias que compõe do DNA. A vista da região com os cartões postais da cidade é sensacional.

Marina Bay, com a Helix Bridge e o Complexo Marina Bay Sands
ArtScience Museum

O ArtScience Museum é um museu interativo, no complexo do Marina Bay Sands, com exposições de arte e científicas. Sua arquitetura representa uma Flor-de-Lotus dando boas-vindas a Singapura. Cada uma das “pétalas” filtram a luz levando a iluminação natural adequada para cada uma das áreas de exibição. A fila do museu é enorme! Compre seu ingresso antecipadamente! A estrutura do museu e as exposições são fantásticas.

ArtScience Museum
Marina Bay Sands

O Marina Bay Sands é um Hotel Cassino, talvez um dos mais conhecidos, composto por 3 prédios onde no topo tem a famosa piscina de borda infinita. Além do hotel, o complexo conta com o ArtScience Museum, um gigantesco shopping de luxo, um cassino, teatros e centro de convenções e de eventos. Infelizmente não tivemos a experiência de ver Singapura lá de cima e curtir a piscina que é de uso exclusivo dos hóspedes. Tínhamos pouco tempo na cidade e não poderíamos aproveitar o hotel e a cidade em pouco tempo. Fizemos uma promessa de voltar e aproveitar o Marina Bay Sands e tirar as fotos maravilhosas lá de cima, e assistir de camarota super vip o show de luzes do Gardens by the Bay.

Marina Bay Sands

Veja os snap-vídeos que fizemos do The Shopp at Marina Bay Sands, da fachada interna do Marina Bay Sands, da fachada frontal do Marina Bay Sands e do Gardens by the Bay visto do Marina Bay Sands.

Dia 2

Gardens By the Bay

Começamos o dia no Gardens By the Bay, o famoso parque num aterro marítimo de 110 hectares, parte de uma estratégia do governo para transformar o país de “cidade-jardim” para “cidade num jardim”, aumentando a qualidade de vida pela introdução de mais espaços verdes na cidade.

O OCB Skyway do Gardens by the Bay que liga várias das Super Árvores

Uma das principais atrações da cidade, os jardins foram criados para serem um espaço aberto para uso da população e não apenas um ponto turístico. Ele conta com uma enorme área pública e gratuita e uma parte restrita com acesso mediante a compra de ingressos.

Na área cuja entrada é restrita estão as duas grandes estufas de aço e vidro, e a passarela que percorre a parte superior do jardim das super árvores, nas fotos acima.

O que mais chama a atenção é a grande praça onde estão concentradas as super árvores, o Supertree Grove, gigantes estruturas de aço com as laterais recobertas por plantas e que se converteram na imagem mais impressionante dos jardins. Todas elas possuem células fotovoltaicas em suas copas de energia solar para a iluminação noturna, captam a água das chuvas para a irrigação das plantas e ainda servem como exaustores de ar para o sistema de refrigeração das estufas.

As Super Árvores

Já tínhamos visto várias fotos e vídeos, como esse snap-vídeo da vista do Gardens by the Bay do OCBC Skyway, na internet. Nenhum deles chega nem perto da sensação de maravilhamento e hipnose de ver as Super Árvores aparecendo no seu campo de visão e nos atraindo para chegarmos cada vez mais perto. É impressionante. É indescritível. E, a noite, você não acredita como é sem vivenciar a experiência. Se você tiver a oportunidade de ir apenas uma única vez, opte para o fim da tarde, para ver a mágica transformação ao acender das luzes.

Conforme o dia vai se pondo, as luzes das “árvores” se acendem, tornando-se ainda mais mágicas. Às 19:45 e  às 20:45 ocorrem os shows de luzes e sons. Veja os snap-vídeos que fizemos da iluminação das Super Árvores e de parte do show de luzes.

A iluminação das Super Árvores

Eu não sei porque, mas eu achava que as estufas ficavam no alto das Super Árvores. Mas nem por isso ficou menos impressionante a experiência.

Começamos pela estufa das flores, a Flower Dome, que recria um clima mediterrâneo com plantas do mundo inteiro agrupadas em diferentes seções da cúpula. São jardins belíssimos, com flores de todos os tipos e cores, e muitos bancos para apreciarmos todas as belezas da natureza reunidas em um único lugar. Veja o snap-vídeo que fizemos da Flower Dome.

Flower Dome

Continuamos na Cloud Forest. a Floresta Nebulosa, uma estufa que recria um clima tropical úmido. Já na entrada, na sua parte inferior, nossos olhos não acreditavam que estávamos diante de uma montanha espetacular com uma enorme cascata nos dando as boas-vindas.

A cachoeira na entrada da Cloud Forrest

O passeio lá se faz de cima para baixo. Pegamos um elevador que nos deixou no alto da montanha e a partir dali, fomos ladeira a baixo num sistema de passarelas, vivenciando a experiência. Veja os snap-vídeos que fizemos da vegetação que forma a montanha e da cachoeira.

Terminado o passeio no fantástico Gardens by the Bay, seguimos para ver o Buddha Tooth Relic Temple and Museum.

Buddha Tooth Relic Temple and Museum

O Templo com o Dente de Buda fica no coração de Chinatown. É um templo lindo, ricamente decorado com muitas estátuas de Buda em seu interior. Uma estupa feita com 320 quilos de ouro doados por devotos guarda um dente que foi de Buda. Como em todo templo, pessoas com roupas que mostrem os braços e as pernas deverão usar um pano para se cobrir.

Buddha Tooth Relic Temple

Veja os snap-vídeos que fizemos do altar principal e dos Detalhes do corredor dos Cem Budas.

Boat Quai

O Boat Quai era o cais onde chegavam metade dos produtos em Singapura. Hoje, revitalizado, é uma região com inúmeros restaurantes, bares e prédios modernos. Encontrei 2 esculturas que me chamaram a atenção na região: um Pássaro, de Fernando Botero, e o monumento First Generation que representa crianças brincando.

Boat Quay
Merlion Park

Merlion é o ícone da cidade, uma estátua com corpo de peixe e cabeça de leão de quase 9 metros de altura e 70 toneladas. Representa os primórdios de Singapura, quando a cidade foi uma vila de pescadores, daí o corpo de peixe. A cabeça de leão refere-se ao nome de Singapura, que significa “cidade do leão” em sânscrito.

Merlion Park

Finalizamos aqui nossa viagem. Chegou a hora de voltar para casa. Singapura foi incrível. Uma viagem que superou e muito todas as expectativas.

 

Faltou alguma coisa no nosso roteiro? Deixe um comentário, ou envie um e-mail para nós, contando como foi sua experiência de Ser Turista em Singapura.

Deixe um Comentário