Girona é uma cidade medieval da Catalunha, fundada pelos romanos, tomada pelos mouros e francos, com influência de diversas culturas e religiões, com ruas estreitas, muralhas e igrejas góticas.

Como Girona está a apenas 120 km de Barcelona, optamos por fazer nosso bate-volta de carro. Também é possível visitar de ônibus ou trem.

Pegamos a Autopista AP-7, pedagiada, toda duplicada. Logo que você entra na autopista, no primeiro pedágio você recebe um tíquete que registra sua entrada. O pagamento é feito quando se sai da autopista em Girona.

Nas proximidades da Pont Sant Feliu há uma grande disponibilidade de estacionamentos gratuitos, de onde começamos nosso passeio.

A primeira parada foi para ver a La Lleona, um monumento com uma leoa escalando um poste logo que você atravessar o Rio Onyar pela Ponte de Sant Feliu. Reza a lenda que beijar a bunda da leoa traz sorte e faz voltar a Girona.

Plaça de Sant Feliu – Construída em uma antiga estrada romana, abriga a Basilica de Sant Feliu, erguida em estilo românico no século VII. Ela foi modificada ao longo dos séculos, passando a contar com uma torre gótica e uma fachada barroca.

Basilica de Sant Feliu

Seguimos para ver os Banhos Árabes, construído em um edifício romano no século XII, inspirado nos banhos muçulmanos existentes no norte da África.

Nossa próxima parada foi no Monastério de Sant Pere de Galligants, construído no século XII, que abriga hoje o museu arqueológico de Girona com peças da pré-história até a chegada dos visigodos, e outros objetos romanos e gregos.

Fomos conhecer a Catedral de Girona, o monumento mais famoso e grandioso da cidade! Construída inicialmente no século XI na parte mais alta de Girona, possui uma escadaria imponente. Apresenta uma arquitetura românica, com detalhes barrocos, agregada à maior nave gótica do mundo!

Catedral de Girona

Em seguida, fomos conhecer o Bairro Judeu de Girona, o El Call, com ruas estreitas e casinhas de pedra, um dos maiores guetos judeus da Espanha e abrigou uma das escolas cabalísticas mais importantes da Europa Medieval. O bairro começou a ser construído no século XI e se desenvolveu ao longo de 3 séculos. No século XV, por sua vez, os judeus que ali viviam foram perseguidos pelos “Reis Católicos Espanhóis” e tiveram que deixar suas casas.

Seguimos para as Murallas de Girona, uma construção carolíngia com acesso gratuito que circunda apenas parte do casco velho da cidade, pois foi destruída pelas tropas de Napoleão quando a conquistou em 1809.

Murallas de Girona

Fomos na sequencia apreciar as Casas del Onyar, um dos locais mais famosos de Girona. São as casinhas coloridas do século XIX com a fachada voltada para o rio Onyar, na altura da rua de l’Argenteria.

Casas del Onyar

Fomos pela Rambla de la Llibertat, uma rua aconchegante e arborizada paralela ao Rio Onyar, repleta de lojas, restaurantes e cafés e atravessamos a Pont de les Peixateries Velles, já muito próximo de onde deixamos o carro e finalizamos nosso roteiro.

Faltou alguma coisa em nosso roteiro? Deixe um comentário ou nos envie um e-mail contando como foi sua experiência de Ser Turista em Girona.

Deixe um Comentário