Ouro Preto é um museu a céu aberto que, através de seu patrimônio artístico, seus casarões coloniais e suas igrejas barrocas, conta a história dourada do Brasil.

Ouro Preto

Ouro Preto, cidade declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco, preserva rastros de sua fundação em 1711, quando ainda era chamada Vila Rica. É impossível passear pelas suas ruas sem fazer uma verdadeira viagem de volta no tempo.

É a cidade com o maior conjunto homogêneo de arquitetura barroca no Brasil, fruto da extração de ouro que alcançou em 70 anos a quantidade obtida em 3 séculos no restante inteiro do mundo. Estima-se que foram enviadas 800 toneladas de ouro só para Portugal.

Foi, também, palco da Inconfidência Mineira, um dos agrupamentos políticos e sociais de maior relevância de toda a história brasileira, na luta pela independência do Brasil de Portugal, que aconteceu 3 décadas depois.

O nome da cidade adveio do fato de grande parte do outro encontrado na região estar coberto, ou incrustado, em óxido de ferro, tornando-o preto.

A Matrix Tur

A agência de turismo que nos levou para conhecer Ouro Preto e sua vizinha, Mariana, foi a Matrix Tur, uma empresa referência de turismo nas cidades históricas de Minas Gerais, com mais de 6 anos de experiência em toda a Região dos Inconfidentes.

Como só teríamos um fim de semana, a Nathalia Nasser nos montou um roteiro personalizado para aproveitarmos o melhor das duas cidades num passeio riquíssimo em cultura e beleza.

Percebemos que a visita com um guia de turismo profissional é imprescindível. Embora haja dezenas de ofertas desse serviço nas portas dos monumentos, um profissional qualificado, com experiência e conhecimento, faz toda a diferença.

Tem-se ainda a comodidade do transporte nas subidas e descidas das intermináveis ladeiras mineiras, sem a necessidade de se preocupar em encontrar estacionamento nas ruas estreitas e com poucas vagas.

Sem o passeio turístico feito com a Matrix Tur, não teríamos conhecido e aprendido tanto sobre os monumentos e as histórias das cidades de Ouro Preto e Mariana.

Endereço: Rua Conde Bobadela, 31, sala 7 – Centro. Ouro Preto-MG.

Telefones: (31) 3552-3070 / (31) 98822-4200

www.matrixtur.com

DIA 1

Igreja de São Francisco de Paula

Começamos nosso passeio na Igreja São Francisco de Paula, também conhecida como São Chico de Cima, construída de 1804 a 1898, seguindo o padrão do Barroco Mineiro e Rococó. É a mais recente, a localizada no ponto mais alto de Ouro Preto e, infelizmente, a igreja menos conservada.

Ouro Preto - Igreja de São Francisco de Paula

As suas torres estão entre as mais belas da cidade e o seu contraste com o pôr do sol ao fundo, é imperdível. Está fechada para visitação.

Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos

Em seguida, visitamos a Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, mais conhecida por Nossa Senhora do Rosário, tombada pelo IPHAN, e que é considerada pelos especialistas a representação máxima do Barroco Colonial Mineiro.

Ouro Preto - Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos

Chafariz da Glória

O Chafariz da Glória, também chamado de Chafariz do Bonfim ou Fonte do Ouro Preto, foi construído a mando do Senado da Câmara de Vila Rica em 1752. Como os outros chafarizes da cidade, servia para o abastecimento público de água, pois as casas não tinham água encanada, à exceção do prédio da Câmara e Cadeia que tinham dutos de pedra sabão avançadíssimos para a época.

Ouro Preto - Chafariz da Glória

Capela do Senhor do Bonfim

A Capela do Senhor do Bonfim foi construída no Século XVIII e teve sua fachada reformada no Século XIX. Além da devoção popular, era o local onde era permitido aos condenados à morte pela forca assistirem à última missa. Seu interior é simples e no arco central se encontra o grande crucifixo do Senhor do Bonfim.

Ouro Preto - Capela do Senhor do Bonfim

Centro de Artes e Convenções da UFOP (Parque Metalúrgico Augusto Barbosa)

A Universidade Federal de Ouro Preto implantou num antigo Parque Metalúrgico uma produtora de ferro-gusa, uma Oficina Mecânica e galpões. Depois, funcionou como uma pequena fundição, serralheria e foram sendo edificados diversos setores da universidade. Para fomentar o potencial turístico, científico e cultural, transformou-se em um Centro de Artes e Convenções de Ouro Preto, inaugurado em 2001 .

Estação Ferroviária de Ouro Preto

Seguimos para a Estação Ferroviária de Ouro Preto para conhecer, num bate-volta, a cidade vizinha, Mariana. A estação é um prédio muito bonito e na sua plataforma de embarque há uma cafeteria, que funciona em uma locomotiva, e também um museu ferroviário com uma maquete gigante que mostra o percurso até Mariana, mas que estava fechado.

Para saber como foi o nosso passeio em Mariana, clique aqui.

DIA 2

Capela Padre Faria

A Capela Padre Faria foi erguida em 1750 para abrigar a imagem de Nossa Senhora do Parto, e seu nome faz referência a um dos fundadores de Ouro Preto – o Padre João Faria de Fialho.

Está encravada numa pequena elevação dentro de um grande vale e o seu interior tem dois altares laterais entalhados em madeira. O teto é decorado com uma pintura da coroação da Virgem e o retábulo do altar-mor é rico em talhas e douramento. No centro estão as imagens de Nossa Senhora do Rosário e de Nossa Senhora do Bom Parto.

Na parte externa há uma pequena torre sineira com um sino de bronze e a imagem de Nossa Senhora do Rosário e a cruz papal esculpida em pedra com 8,52 metros de altura.

Igreja Santa Efigênia

A Igreja Santa Efigênia, também conhecida como a igreja do “Chico Rei”, o lendário rei africano trazido para Minas como escravo, que comprou sua alforria e de muitos outros escravos, tornando-se rei novamente.

Foi erguida a partir do ano de 1733 e uma enorme escadaria de pedra dá acesso à igreja de onde se tem uma vista ampla da parte “velha” da cidade. No alto, um curioso relógio construído em 1762, com um único mostrador de pedra que indica as horas.

Igreja de São Francisco de Assis

A Igreja de São Francisco de Assis, da segunda metade do Século XVIII, tombada pelo IPHAN, é uma das mais importantes de Ouro Preto. Considerada a pérola do Barroco Mineiro, a obra prima de Aleijadinho foi eleita uma das 7 maravilhas portuguesas do mundo. Tanto o projeto, como grande parte das esculturas, são assinadas pelo artista. A maravilhosa pintura da cúpula, do mestre Ataíde, celebrado pintor e decorador brasileiro, é comparada à da Capela Sistina.

Museu Aleijadinho

O Museu Aleijadinho possui um acervo de suas peças de arte sacra e documentos, e também peças de outros artistas. Funciona em um circuito que abrange três igrejas históricas de Ouro Preto: São Francisco de Assis, Nossa Senhora das Mercês e Perdões e Nossa Senhora da Conceição, local de sepultamento do Aleijadinho.

Atualmente, as peças estão na Igreja São Francisco de Assis, pois as Igrejas de Nossa Senhora das Mercês e Perdões e Nossa Senhora da Conceição, encontram-se temporariamente fechadas para visitação.

Basílica de Nossa Senhora do Pilar

A Basílica de Nossa Senhora do Pilar é o exemplo máximo do barroco brasileiro, a Matriz de Ouro Preto tem os altares completamente cobertos por mais 400 quilos de ouro, numa riqueza de detalhes.

A construção, incluindo os seis altares, reúne exemplos das três fases do barroco. As estações do ano estão representadas nas pinturas das paredes do altar-mor, e, no forro, a cena da Santa Ceia.

As pinturas do forro da nave, de João Carvalhais, formam uma bela composição com cenas do Antigo Testamento, Observe o efeito óptico causado pela figura do Cordeiro: um dos braços da cruz parece mudar de lado na medida em que você caminha.

Museu de Arte Sacra de Ouro Preto

O Museu de Arte Sacra de Ouro Preto está localizado na cripta da Matriz de Nossa Senhora do Pilar, um espaço sob a sacristia encontrado durante a última reforma do monumento onde, acredita-se, funcionava uma mina de ouro.

Ouro Preto - Museu de Arte Sacra

O acervo do museu conta com 400 peças produzidas entre os Séculos XVII e XIX, cedidas por irmandades, confrarias e associações religiosas, com destaque para as esculturas sacras de Francisco Xavier de Brito e Aleijadinho, dispostos em vitrines temáticas, que recontam a história do modo de organização da sociedade colonial, da religião e da cultura da antiga Vila Rica.

Praça Tiradentes

É na Praça Tiradentes onde estão os principais atrativos da cidade, destacando-se, ao centro, o Monumento a Joaquim José da Silva Xavier, Tiradentes, mártir da Inconfidência Mineira, construído onde sua cabeça ficou exposta para a população de Vila Rica, e que está de costas para a residência oficial do governador.

 

Museu da Inconfidência

O Museu da Inconfidência funcionou como Casa de Câmara e como Cadeia de Vila Rica, e depois como penitenciária estadual. Posteriormente, acabou recebendo os restos mortais dos inconfidentes quando foram trazidos de volta da África para o Brasil. O acervo do museu resgata a história da vida social, política e artística de Minas Gerais dos Séculos XVIII a XIX, possuindo obras de grandes artistas como Ataíde e Aleijadinho.

Chafariz da Praça Tiradentes

Localizado junto à parede da escadaria do Museu da Inconfidência, apresenta a peculiaridade de ter sido inaugurado no aniversário de D. Pedro II. Em sua inscrição, encontra-se a mensagem: “Inaugurado em 2 de dezembro de 1846, 21º Aniversário de S. M. o Sr. Dom Pedro II, por ordem do Presidente da Província Quintiliano José da Silva”.

Ouro Preto - Chafariz da Praça Tiradentes

Museu da Ciência e Técnica

O Museu da Ciência e Técnica, que também funciona como escola e Universidade Federal, foi construído em meados do Século VIII e era anteriormente o Palácio dos Governadores. O Museu é imenso, divido em várias seções, com destaque para a sala de pedras preciosas, e a de física interativa, onde se pode brincar e mexer com os objetos. A visita ao edifício projetado por Manuel Francisco Lisboa, pai de Aleijadinho, é a melhor atração do museu. Do alto, tem-se uma ótima vista da cidade e é um dos melhores locais para se observar o pôr do sol.

Ouro Preto - Museu de Ciência e Técnica

Centro Cultural e Turístico SESI Ouro Preto

Centro Cultural e Turístico SESI Ouro Preto também fica na Praça Tiradentes. É um belo prédio de arquitetura colonial que abrigou o Hotel Pilão, destruído em um incêndio em 2003. O espaço revitalizado conta com um centro cultural onde é possível visitar as exposições temporárias e pegar informações turísticas da cidade.

 

Conjunto Alpoim

Muitos estudiosos consideram que as casas que apresentam os números que vão do 52 a 70 foram projetadas pelo brigadeiro José Fernandes Pinto Alpoim. É interessante notar que as três grades das sacadas apresentam a inscrição “para memória do benefício imortal teu nome fica gravado neste metal”.  A população conta que a inscrição foi feita a pedido da amante do governador na época.

Ouro Preto - Conjunto Alpoim

Igreja Nossa Senhora do Carmo

A Igreja de Nossa Senhora do Carmo, tombada pelo IPHAN, é um exemplo da arte rococó no Brasil. Foi um dos últimos projetos de Manuel Francisco Lisboa, pai de Aleijadinho. Fica no alto de uma escadaria e, como faz parte da última fase do barroco, é menos carregada em ouro. Essa igreja é a única do estado com painéis de azulejos portugueses na capela-mor.

Ouro Preto - Igreja de Nossa Senhora do Carmo

No edifício anexo à Igreja de Nossa Senhora do Carmo, está instalado, em um casarão histórico de três andares onde antes funcionava a Casa do Noviciado do Carmo, o Museu do Oratório, Ele conta com um acervo de mais de 160 estilos de oratório e 300 imagens sacras doadas pela presidente do instituto ao IPHAN, com detalhes valiosos da arquitetura, pintura, vestuário e costumes dos séculos XVII ao XX. Ficamos com pesar por não termos conseguido visitar o museu que fechou às 15 horas.

Feirinha de Pedra Sabão

A tradicional Feirinha de Pedra Sabão fica logo atrás da Igreja São Francisco de Assis e vende artesanatos como santos, tabuleiros de jogos, caixas e vasos esculpidos em pedra sabão, além de todo tipo de souvenires.

Ouro Preto - Feira de Pedra Sabão

Igreja de Nossa Senhora das Mercês e Perdões (Mercês de Baixo)

A Igreja de Nossa Senhora da Mercês e Perdões, mais conhecida como Mercês de Baixo, foi construída no alto de uma colina em meados do Século XVIII, e tem como destaque a capela-mor, executada por Aleijadinho.

Ouro Preto - Nossa Senhora das Mercês e Perdões

Mina Jeje

Fomos conhecer a Mina Jeje, uma das mais de 2000 minas de ouro que existiram em Ouro Preto no Século XVIII, onde adentramos 160 metros num túnel de aproximadamente 80 centímetros de largura cavados com as técnicas trazidas da África pelos escravos. É uma verdadeira aula de história que demonstra além do processo de extração do ouro, a triste realidade dos escravos que tinham uma expectativa de vida de apenas 25 anos nas minas e de como Portugal ostentou (e dilapidou) toda essa riqueza.

Igreja de Nossa Senhora da Conceição

Terminamos o dia na Igreja de Nossa Senhora da Conceição, uma das mais antigas da cidade, finalizada em 1746, construída em substituição à primitiva capela levantada pelo bandeirante Antônio Dias, fundador da cidade, em 1707. Foi projetada e executada por Manuel Francisco Lisboa, pai de Aleijadinho, e guarda suas sepulturas. Dentro da igreja, na sala da cripta e na sacristia, funciona o Museu do Aleijadinho (temporariamente fechado enquanto a igreja passa por restauração).

Ouro Preto - Igreja de Nossa Senhora da Conceição

 

Faltou alguma coisa em nosso roteiro? Deixe um comentário, ou nos envie um e-mail, contando como foi sua experiência de Ser Turista em Ouro Preto.

Deixe um Comentário