Cádiz é a cidade mais antiga da Europa, às margens do Oceano Atlântico, e sua história mistura o estilo de cada povo que ali viveu: fenícios, gregos, cartagineses, romanos e muçulmanos. 

Fomos até a Andaluzia para fazer a famosa Rota dos Pueblos Blancos onde visitariamos vários povados nas montanhas da Serra de Grazalema, com suas tradicionais casas caiadas e paisagens de tirar o fôlego. Aproveitamos, antes, para conhecer a encantadora Cádiz que sempre nos chamou a atenção em fotos e filmes.

Logo na entrada de Cádiz, a rodovia AP-4 por onde viemos de Sevilha se bifurga e pegamos a CA-35 que nos conduziu através da maravilhosa Puente de la Constitución de 1812 até o casco velho da cidade.

Passamos apenas uma manhã na cidade, o que matou a nossa curiosidade e nos deixou com muita vontade de voltar para conhecê-la melhor.

Começamos nosso passeio pelo Parque Genovês, um parque do Século XVIII a beira mar, junto das muralhas da cidade antiga no casco histórico, com um lindo Jardim Botânico repleto de palmeiras e plantas nativas.

Seguimos para o Baluarte de Candelária, o antigo quartel do exército contruído em 1672 que guardava a costa da cidade e hoje foi convertido em centro cultural.

Baluarte de Candelaria

Paramos para apreciar a linda Parroquia del Carmen y Santa Teresa, de 1762.

Parroquia del Carmen y Santa Teresa

Passamos pelos Jardines de Alameda Apodaca, o jardim paralelo ao mar que liga o Baluarte de Candelária à Muralha de San Carlos, com destaque para um maravilhoso Ficus do início do Século XX originário da Austrália.

Na Muralla de San Carlos, finalizada em 1784, observamos a baía e a fortificação que tinha 90 peças de artilharia para a proteção da cidade.

Seguimos para a Plaza de España, a principal da cidade com diversos passeios arborizados que convergem ao centro onde está o famoso Monumento a las Cortes, que celebra o primeiro centenário das côrtes espanholas, de 1812.

Fomos até a Plaza de San Juan de Dios para ver o belíssimo prédio do Ayuntamiento de Cádiz, de 1799, em estilos neo-clássico e isabelino e o Monumento a Segismundo Moret, colaborador da Constituição espanhola de 1869.

Seguimos para a Catedral de Cádiz, um dos monumentos mais famosos da cidade que se destaca no horizonte com sua cúpula amarela, finalizada em 1838 em substituição à anterior do Século XVI que estava deteriorada. Não conseguimos visitar seu interior em razão dos preparativos da Semana Santa.

Catedral de Cádiz

Finalizamos nosso passeio no Castillo de Santa Catalina, construído após o ataque anglo-holandês à cidade em 1596, e hoje funciona como um grande espaço cultural com salas de exposições, oficinas de arte e artesanato e no Pátio das Armas acontecem shows e concertos.

Faltou alguma coisa em nosso roteiro? Deixe um comentário, ou nos envie um e-mail, contando como foi sua experiência de Ser Turista em Cádiz.

 

Deixe um Comentário