O The Cloisters é um anexo do Metropolitan Museum of Art  dedicado à arte e arquitetura da Idade Média da Europa, onde o próprio museu é parte da coleção.

Um tipo diferente de museu

O museu The Cloisters fica no Fort Tryon Park, no Upper Manhattan, numa colina com vista para o rio Hudson. O edifício do museu e os jardins à sua volta cobrem aproximadamente quatro hectares.

The Cloisters
The Cloisters

O museu foi desenhado por Charles Collens (1873-1956), o mesmo arquiteto que criou a Igreja Riverside de New York. Joseph Breck trabalhou por dentro, com a ajuda de James J. Rorimer, que criou as galerias para que fluíssem logicamente do período românico para o gótico.

O museu abriga cerca de cinco mil obras de arte da Europa medieval, do século XII ao século XV.

Uma parcela da coleção pertencia a John D. Rockefeller Jr., que deu uma concessão ao MET para estabelecer este novo museu, concluído em 1938.

A maior parte da coleção, no entanto, pertencia ao escultor americano George Gray Barnard, que era um colecionador prolífico da arte medieval européia. Barnard já criou um pequeno museu no Fort Washington da cidade, perto da localização atual do museu. Rockefeller comprou a coleção de Barnard e entregou-a ao MET juntamente com suas peças. Ele também comprou o terreno para o museu (agora Fort Tryon Park) e também o terreno na outra margem do rio para preservar a vista dos visitantes do museu.

O que vimos por lá

O aspecto mais exclusivo de The Cloisters é o fato de que o museu também faz parte da coleção. O edifício incorpora peças de cinco claustros franceses medievais (quadrângulos fechados por uma passagem coberta ou abobadada que forneceu acesso protegido de um edifício para outro) e de outros locais monásticos localizados em todo o sul da França. Três desses claustros reconstruídos também apresentam jardins que foram plantados de acordo com informações hortícolas encontradas em vários periódicos ou livros da Idade Média.

 Além de admirar os edifícios históricos, os visitantes de The Cloisters irão desfrutar de uma série de outras obras de arte que não são frequentemente vistas desse período de tempo, incluindo as estrelas do museu – sete tapeçarias flamengas que retratam “The Hunt of the Unicorn”. Estes faziam parte da coleção da Rockefeller. Outras peças de arte incluem manuscritos iluminados ornamentados, vitrais, trabalhos em metal, esmaltes e marfins.

Informações

Funcionamento: Março até outubro: 10:00-17:15 / Novembro até fevereiro: 10:00-16:45.

Ingresso: Com apenas um ingresso é possível visitar o The Cloisters e o The MET no mesmo dia. Lembrando que o valor da entrada é sugerido e se pode pagar qualquer quantia.

Deixe um Comentário